Família da Cor do Amor - Por Rosi Prigol




É uma honra compartilharmos a história desse exemplo de mulher incansável na luta pelo direito das crianças e adolescentes. Rosi é presidente do Instituto Amigos de Lucas, responsável pelo encontro de diversas famílias através da adoção e uma inspiração para todos nós .
"O Gabriel chegou com 02 dias de vida através de uma adoção consensual, a mulher que o gerou decidiu doar seu quinto filho tão logo ele nasceu. Prostituta e drogada ele foi o único a ter legalizado a adoção. Sem esconder essa realidade de meu filho, escrevi um livro para ele, para que, quando grande, ele possa ler e entender essas duas formas de amor, da mãe biológica que decidiu dar a ele uma vida melhor e da mãe adotiva que o recebeu como uma dádiva.
Além do Gabriel, já tinha dois filhos biológicos adultos : o Gilberto hoje com 29 anos e a Luiza com 26. Em 28.07.2009, o juiz da vara da infância ligou, solicitando o trabalho do “famílias acolhedoras”, programa do Instituto Amigos de Lucas que acolhia crianças tiradas de casa e que deviam ser levadas a um abrigo. Quando não há vaga nos abrigos, uma família as recebe temporariamente até a volta para casa ou irem para adoção.
Como naquele dia só havia uma família disposta a ficar com os 02 maiores, uma menina com 09 anos e seu irmão com 05 anos, eu e meu marido aceitamos ficar com os dois menores : um menino com 03 anos e sua mana com 03 meses.
Neste dia sem saber passei de mãe de 03 filhos a mãe de cinco.
A história que passamos de lá para cá foram de muita luta contra um sistema que analisa crianças como número de processos.
Foram retirados de nós ( da outra família também ) e por quatro meses ficaram abrigados por erro do judiciário.
Foram 04 meses de luta para que os trouxéssemos de volta ao nosso lar.
Depois de 05 anos e 04 meses (dezembro de 2014) obtivemos a certidão de nascimento dos nossos filhos.
Minha família tem a cor do amor."