Família teme perder a guarda de filha adotiva


Após quase seis anos, mãe biológica pediu guarda de menina e de outros dois filhos

Em dezembro de 2009, uma semana antes do Natal, o casal Janine Carneiro, 39, e Emerson Fernandes, 40, acolhia em seu lar o melhor presente que poderia ter recebido. Era a menina Maria (nome fictício), de apenas 4 anos, tornando real o sonho da outra filha deles, Jéssica (nome fictício), de 6 anos, o de ter uma irmã para compartilhar as brincadeiras.
A partir daí, logo na chegada da menina, os vínculos afetivos entre eles foram se firmando, e a família ficou completa. Depois de quase cinco anos veio a sentença de adoção. Maria passava a ser, definitivamente, filha do casal. Antes disso, vivenciavam a angústia da guarda provisória. Era o dia 24 de junho de 2014, uma data marcante para a família.
Foi exatamente nessa mesma data, neste ano, que, em vez de comemoração por um ano livre das angústias, o casal recebeu em sua casa, direto das mãos de um oficial de justiça, uma intimação. Nela, uma ação rescisória da mãe biológica de Maria, questionando a destituição familiar, que havia acontecido em maio de 2013, um ano antes da sentença de adoção.

Leia a reportagem em: 
http://www.gazetaonline.com.br/_conteudo/2015/10/noticias/cidades/3912980-familia-teme-perder-a-guarda-de-filha-adotiva.html